quarta-feira, 21 de outubro de 2009

PRC5 no Teatro da Paz

Vai ser neste final de semana, sexta, sábado e domingo, a apresentação de "Prc5 - A Voz que Fala e Canta para a Planície", que escrevi para o Grupo Cuíra, comemorando os 80 anos da Rádio Clube do Pará. Será um grande momento e penso que ficarei muito emocionado. Os aniversários da emissora eram comemorados no TP, com a presença de artistas de renome nacional, além dos locais. Tenho uma foto de meu avô, ao microfone, naquele palco. Lá ele também encenou peças de sua autoria e foi diretor da casa. O final de semana é por conta de uma oportunidade que o Estado oferece, a título de política cultural, recebendo ofertas de ocupaçao pelos grupos locais de determinadas datas que por qualquer motivo, ficaram em branco, e que são oferecidas sem o pagamento de qualquer taxa. Normalmente, por noite, algo em torno de 1500 e 2000 reais é cobrado. Sei porque já fiz Convite de Casamento por lá, pagando a taxa. O Teatro da Paz também é o lugar onde estreei como autor, em Foi Boto Sinhá. Não esquecerei a emoção do blackout, seguido do som do tambor de carimbó, iniciando o espetáculo. Adiante, escrevi Angelim, o Outro Lado da Cabanagem, novamente com Geraldo Sales e Grupo Experiência. Foi a primeira montagem profissional local. Tão preocupada em pagar suas contas, que devolvemos, integralmente, o valor que o Banco do Estado do Pará emprestou, esquecendo tudo o que lhe demos em imagem promocional, durante três meses. Também lá estive com A Menina do Rio Guamá. Em todas essas oportunidades, tive casa lotada. É inesquecível. O que acontecerá agora, não sei. Vivemos outros tempos. Vai ser a oportunidade de muita gente, que ainda tem preconceito contra a localização do Teatro Cuíra, assistir. O ingresso também está indecentemente barato. Imaginem que a tal "política cultural", te dá o teatro sem taxa, mas não se pode cobrar mais de 15 reais o ingresso. Talvez, ganhar dinheiro com Teatro, muito dinheiro, seja apenas para o pessoal do Zorra Total, que vem bamburrando nos últimos tempos, por aqui..
Mas já está sendo uma grande alegria. Logo no primeiro dia de ensaios, a turma voltando a reunir. Elenco grande. Grande elenco. Eles cantam, dançam, atuam. E tudo isso com muito talento, felicidade. Um elenco feliz. Feliz por encontrar. Botar o papo em dia. Uma está grávida, outra volta de uma hepatite, outro foi contratado pela Globo e está em Malhação, por isso uma substituição. Vamos lembrar as coreografias. Diversas técnicas são empregadas e logo, tudo está certo. Memória cênica. E toca a música, eles se emocionam, eu também e todos cantamos. Miles Davis disse uma vez que felicidade era reunir um grupo de músicos para tocar um uníssono. Pois eu digo que felicidade é reunir um grande elenco para ensaiar e se apresentar. É claro que vou estar bem emocionado. Escrevi a peça para homenagear a emissora, falar de meu avô querido e muito mais, falar de meus pais, das pessoas. Me sinto honrado, feliz, de bem com a vida. Nem precisa muito, não é? Espero que tenhamos um bom público. O elenco merece. A Prc5, também. Muito mais as pessoas que não sabem o que perderam até agora.

Um comentário:

Edgar Marinho disse...

fale grande edyr ...
estou em uma ponte são luis belém e só hoje falo do "revival' PRC5 ...que
grande obra ...ficou lindo no TP!
Belém ainda se renderá aos Proenças..
Grande abraço ,Sds a Z sinto pelo ' belo cão" ..que também vi pela República
Big , um admirador de sempre